sábado, 22 de outubro de 2011

ONU pede investigação na morte de Muamar Kadafi

Para a presidenta Dilma Rousseff, o Brasil deve apoiar o novo processo político líbio.

O Escritório da Alta Comissão de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU) pediu, nesta sexta-feira (21/10), que as circunstâncias da morte do ditador líbio, Muamar Kadafi, fossem investigadas. Ele teria sido encontrado morto, na última quinta-feira (20).

Há pelo menos cinco versões e dois vídeos – feitos por celulares e divulgados pela imprensa – sobre os últimos instantes de Kadafi. Em um deles, o ditador estava ainda vivo, e no segundo, mostrado já morto.

Para o secretário geral da ONU, Ban Ki-moon, o falecimento de Kadafi é um momento de transição política no país.

Na última quinta-feira (20), a presidente Dilma Rousseff teria afirmado – durante visita oficial a Angola – que a Líbia está passando por um “processo de transformação democrática”, que deveria ser apoiado pelo governo brasileiro.

Ainda naquele mesmo dia, o líder norte-americano, Barack Obama, teria destacado que Muamar Kadafi teria se tornado um fugitivo, expulso por sua própria gente. E que aquela data era “histórica” e que o país teria se levantado da “sombra da tirania”.

Já para o mandatário venezuelano, Hugo Chávez, Kadafi morreu como um “grande lutador, revolucionário e mártir”. O governante sul-americano condenou a morte de seu homólogo, responsabilizando a Organização Tratado Atlântico Norte (OTAN) e os países aliados pelo ocorrido.

Kadafi foi o primeiro governante a morrer, desde o início da “Primavera Árabe”, fenômeno de transição política ocorrido em países como Tunísia e Egito, por exemplo.

Reações:

0 Leitor(es) opinou(aram) :

Postar um comentário

Seu comentário será publicado, logo que aprovado, conforme Política de Uso do site.

O LEITURA SUBJETIVA agradece o seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Web Statistics