sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Para que serve a Anatel? No Brasil não existe órgão para fiscalizar provedores de internet

Agora está explicado, porque o Brasil é uma farra cibernética, ou como disse recentemente a ONG Avaaz, um “faroeste digital”. Simplesmente, porque não existe nenhum órgão governamental para fiscalizar os provedores de internet. Isso responde o porquê de as empresas só oferecerem aos clientes apenas 10 por centos da banda larga contratada, conforme destacado há pouco tempo pelo Instituto Nacional de Defesa do Consumidor (Idec). Só que, com a regulamentação aprovada pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), publicada no Diário Oficial da União, na última segunda-feira (31/10), as empresas terão de oferecer em média 60 por centos mensais da velocidade contratada pelo assinante, a partir de março do ano que vem.

O autor de OPINÓLOGO, o jornalista Diego Francisco, ligou nesta quinta-feira (3/11), para a Anatel, por estar com dificuldade de cancelar uma nova cobrança indevida daquele famoso provedor de internet, o Terra, com quem já teve problemas neste mesmo ano. E lhe foi recomendado que tentasse verificar com o Comitê Gestor da Internet no Brasil. E ao telefonar para este, disseram o mesmo: que no país não havia nenhum órgão fiscalizador de provedores, e que esse tipo de reclamação deveria ser feito junto às entidades de defesa do consumidor. Eis a pergunta: para que serve a Anatel, afinal de contas? É por isso que, muitas empresas agem com total desprezo com seus clientes, porque sabe que não serão punidas.

Desta vez, a cobrança é por um serviço de Wi-Fi nunca solicitado, sendo que nem contrato com serviço de acesso à web existe. Diego Francisco ligou para o Terra na segunda-feira (31/10) e lhe falaram que não poderiam cancelar o boleto, porque já passavam das 20h, e que teria de retornar a ligação. Então, no dia seguinte (1/11) ele mandou um e-mail para o atendimento ao cliente, e no dia 2 de novembro, lhe responderam dizendo que teria de telefonar novamente, o que foi feito no mesmo dia. A desculpa para não cancelar a cobrança foi o feriado de finados, e que o setor responsável não funcionava. E já nesta quinta-feira (3/11), ficou sendo “jogado” de atendente para atendente, que o colocavam na espera, e a ligação caia em outro setor. O último foi o de suporte – que não tinha nada a ver –, que lhe comunicou que não seria possível transferir a ligação e que teria de ligar novamente. Agora, está no aguardo de que a Ouvidoria da empresa aja com mais maturidade e solucione mais este problema.

É simplesmente uma vergonha que, o Brasil, que registrou mais de 75 milhões de usuários de internet, com base nos dados do site Internet World Stats, de 2008 a março de 2011, o maior país da América Latina, o sétimo mais rico do mundo, não tenha uma fiscalização nos serviços. Talvez, antes de se preocupar com problemas de outros países, de pensar em realizar grandes feitos, tais como contribuir com o FMI para amenizar a crise financeira grega, ou de ocupar uma cadeira no Conselho de Segurança da ONU, o país deveria solucionar os pequenos problemas domésticos.

No ano passado, por exemplo, apenas em São Paulo, o Terra ficou em 11° lugar no ranking de reclamações de empresas de serviço. No quadro geral de empresas paulistanas, em 39° lugar. Pois, segundo o Procon daquele estado, a empresa só teria atendido 75 das 139 queixas.

Matéria original: Site Opinólogo

Reações:

0 Leitor(es) opinou(aram) :

Postar um comentário

Seu comentário será publicado, logo que aprovado, conforme Política de Uso do site.

O LEITURA SUBJETIVA agradece o seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Web Statistics