domingo, 27 de janeiro de 2013

Diário espanhol “El País” admite erro por publicar suposta foto de Hugo Chávez e conta em detalhes como a adquiriu

Informação atualizada em 2701/2013, à 1h50

Governo venezuelano pretende processar o jornal, por divulgar foto de um homem internado e com tubo como sendo o presidente.

Imagem: You Tube / Reprodução /
Adaptação: LEITURA SUBJETIVA
O diário espanhol “El País” admitiu, no final da noite deste sábado (26/1), ter “cometido um dos maiores erros de sua história”, e se desculpou por ter publicado a imagem (foto) de um homem internado e com tubo como se fosse a do presidente da Venezuela, Hugo Chávez, na última quinta-feira (24). Na verdade, se trataria de um paciente que sofria de gigantismo, uma doença que causa o crescimento exagerado. A mesma apareceu na versão online e na capa do impresso.

O jornal disse que teria obtido a imagem por meio da agência Gtres Online, com quem já trabalha desde 2009. A mesma também já teria sido oferecida a outro periódico daquele país, o “El Mundo”, por 30 mil euros (o equivalente a R$ 82 mil), que não teria aceitado.

O relato completo é bastante extenso, porque afirma que o diretor de Publicações, Javier Moreno, estaria acompanhando o Foro Econômico Mundial, em Davos (Suíça), quando recebeu a ligação de seu diretor-adjunto, Vicente Jiménez, no último dia 23, para falar sobre a imagem. Esta chegou a ser analisada várias vezes, inclusive buscas no Google chegaram a ser feitas para verificar se haviam outras semelhantes, no entanto nada. Os executivos do “El País” queriam obter mais detalhes sobre a foto e a fonte, para certificar-se da credibilidade da mesma, da data que foi tirada, entre outras coisas. Contudo, teriam escutado que seria uma suposta enfermeira que cuidava de Chávez, e que precisava ser preservada. Após ser vista por vários funcionários, acabaram acreditando tratar-se realmente do mandatário, portanto, sendo considerado um erro coletivo. O custo da foto foi de 15 mil euros (o equivalente a R$ 41 mil).

Na publicação, o diário informava que não podia comprovar a autenticidade do retrato, que estava em má qualidade de resolução, devido às particularidades políticas de Cuba e a restrição de informações. Mas, que tinha optado postá-la, por considerar as vagas informações prestadas pelo governo sobre a saúde do líder sul-americano.

Mesmo na hora da impressão do jornal, houve dúvidas se realmente seria Hugo Chávez, se não seria uma montagem, por exemplo. O “El País” chegou a postar em seu twitter que divulgaria uma imagem de grande impacto, contudo sem especificar. Logo que as distribuições começaram a chegar em países da Europa e da América Latina, como México e Argentina, por exemplo, então decidiram colocar a reportagem também no site, por causa da repercussão que já estaria dando nas redes sociais. Pouco tempo depois, internautas começaram a enviar mensagens, informando que a foto seria falsa, o que foi analisado a partir do link de um vídeo que mostrava o paciente com gigantismo, do ano de 2008. Mediante comprovação da falha, além de tirar do ar a notícia, começou então a trabalheira de conter a distribuição. Eles ainda conseguiram recolher 93 por cento de seus jornais, considerando que o total era de 22.635 exemplares, o que gerou um custo extra de 225 mil euros (o equivalente a R$ 614 mil), sendo 125 mil euros (o equivalente a R$ 314,5 mil) para a reimpressão e os 100 mil euros restantes (o equivalente a R$ 273 mil) para a redistribuição. Na Argentina, foram recuperadas 30 por cento das cópias, sendo que 8.050 chegaram às bancas de jornal. Enquanto que, na República Dominicana, apenas 10 por cento, sendo que 5.670 chegaram às bancas.

Devido à suposta foto, o chanceler venezuelano, Elias Jaua, disse que orientou seu embaixador na Espanha, Bernardo Alvarez, a “tomar ações legais” contra o jornal europeu, por considerar “grave ofensa à dignidade do primeiro mandatário”, tachando a publicação “vexatória”. Já a Embaixada venezuelana em Madrid acusou o “El País” de promover uma suposta campanha contra o governo.

Políticos e simpatizantes chavistas aproveitaram a falha do veículo de comunicação para fazer ataques. A presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, por exemplo, classificou a reportagem como uma “canalhice”. Além dela, o ministro de Informações, Ernesto Villegas, e o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, também criticaram o diário através do Twitter.

A divulgação da suposta foto repercutiu negativamente, não só pelo erro do jornal, mas porque vários leitores criticaram que não teria havido respeito à integridade física de Hugo Chávez, mesmo sendo ele uma pessoa pública. Atualmente, encontra-se internado em Cuba, desde o último dia 11 de dezembro, quando foi submetido a uma nova cirurgia para a retirada do câncer que reapareceu na região pélvica. E também se recupera de uma infecção pulmonar contraída durante o tratamento.

Leia também:

Venezuela: eleição presidencial será no dia 14 de abril

Reações:

0 Leitor(es) opinou(aram) :

Postar um comentário

Seu comentário será publicado, logo que aprovado, conforme Política de Uso do site.

O LEITURA SUBJETIVA agradece o seu comentário.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

 
Web Statistics